Páginas

domingo, 14 de julho de 2013

Evangélico É Preso Por Denunciar Perseguição Religiosa

evangélico-preso-denunciar-Vicente Aragón Hernández
Vicente Aragón Hernández, evangélico que ficou 24 horas preso, sem saber os motivos.
Em San Juan Ozolotepec, Oaxaca, o indígena evangélico Vicente Aragón Hernández, de 42 anos de idade, foi preso com ordens do prefeito municipal, Pedro Cruz González, por ter denunciado aos meios de comunicação e as autoridades que a congregação cristã da cidade esta sendo hostilizada por causa de sua fé.
No domingo, 07/07, funcionários responsáveis pela segurança local, prenderam Aragón, sem mencionar as acusações, o deixando encarcerado por mais de 24 horas.
No dia seguinte, o administrador municipal, Felipe Aragón Reyes, abriu a porta e disse que a sua prisão era devido que nos últimos dias vários cristãos haviam denunciado aos meios de comunicação e a organizações dos direitos humanos, que os evangélicos estavam sofrendo ameaças, assedio, violando então o direito de liberdade religiosa que está consagrada na Constituição Política Mexicana, deixando assim as autoridades irritadas.
Vicente foi posto em liberdade, mas não antes de ser ameaçado de que se continuar denunciando arbitrariamente seria preso
evangélicos-oaxaca
Evangélicos de San Juan Ozolotepec, adorando a Deus em outra cidade devido a perseguição.
novamente, de modo que os cristãos estão solicitando em uma carta enviada ao Governador, Gabino Cué Monteagudo, uma explicação deste ultraje: “O Governador tem dito que não existe intolerância religiosa em Oaxaca, mas nós vemos uma coisa totalmente diferente“, disse o pastor Leopoldo Alonso Silva.
Até o momento, vários automóveis dos cristãos continuam presos com correntes e tubos de aço em suas próprias propriedades, por ordens do prefeito, logo após ordenar o cancelamento da construção de um templo cristão na cidade.
A comunidade evangélica tem sido obrigada reunir-se em um povoado que está a duas horas de Ozolotepec, já que não podem exercer a liberdade de culto por instruções da autoridade, enquanto o diretor de Assuntos Religiosos de Oaxaca, Francisco Zavaleta Rojas e a Comissão, não têm agido com prontidão para que as autoridades competentes punam os responsáveis pelos crimes de ameaças, privação ilegal de liberdade, desapropriação e outros que foram apresentados pelos membros da Igreja Getsemani.
Fonte: Portal Padom